segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Coqueiros à vista

A bordo do catamarã Borandá, comandado pelo Capitão Zeca, quatros pesquisadores (Marcelo, Felipe, Zar e eu), juntamente com a chefe da Reserva Maurizélia Brito e o marujo Jarian partimos do Iate Clube de Natal com destino ao Atol das Rocas. Por volta de meio dia de onze de novembro as velas foram içadas. Deixamos as águas calmas do rio Potengi, atravessamos as águas turbulentas da boca da barra, navegamos pelo verde claro da plataforma continental até chegarmos ao intenso azul do alto mar.

A viagem a bordo do Borandá foi bastante tranquila, Iemanjá estava de bom humor, o vento soprava despreocupado e rapidamente o sol nos deu adeus. Durante a noite todos deveriam permanecer dentro da embarcação por questão de segurança e, dessa forma, o sono veio mais cedo que de costume. Dormi tão profundamente que nem vi o tempo passar. Duas horas após despertar, às onze horas de doze de novembro, já avistávamos os coqueiros e a areia absurdamente branca da ilha.
Aproximadamente oito viagens de bote da ilha até o veleiro (e vice-versa) foram realizadas para desembarcar e embarcar material e equipe. A última, levando o restante da equipe, foi surpreendida por uma onda teimosa que obrigou os pesquisadores a pularem na água. Apenas um susto, no final todos estavam bem!
Então, às 16 horas o Borandá partiu e ficamos nós cinco para mais uma temporada de pesquisa e aprendizado nesse lugar onde a natureza mostra sua face encantadora e, por vezes, surpreendentemente cruel.


To be continued...

2 comentários:

  1. Bora Fran!!!! Parabens pelas pesquisas, pelas fotos, pelas companhias e por ser essa menina que somos todos fas!! Beijo Gui

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Gui! Vc é um fofo! Manda notícias, bjs

    ResponderExcluir