segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Sob(re) a maresia


Cuidado ao aproximar-se daquela névoa úmida e salgada que se desprende do mar. Ela corrói fortemente todas as suas angústias, enferruja sua preguiça e embaça sua pressa. Nas suas múltiplas faces, a maresia se desfigura em minúsculas partículas que entram pelos poros do seu corpo e fagocitam suas dores copiosamente. Mais grave ainda é quando o sujeito ousa e a encara, sentado de frente para o mar. Assim, na sua forma mais agressiva, ela invade a mente e oxida todas as dúvidas ali instaladas, destruindo os metais que formam as grades do pensamento, agindo de forma paulatina e implacável.

Você que vive aprisionado numa rotina de concreto, evite contato prolongado com a maresia, pois ela fatalmente o dissolverá em gotículas de liberdade.

Mulher acometida pela maresia

2 comentários: