domingo, 26 de agosto de 2012

Caminhos da Trindade


Essa ilha de origem vulcânica é repleta de montes e vales, imensas formações rochosas que são belas e ao mesmo tempo assustadoras. Grandes blocos rochosos desagregados tornam o solo instável e cada passo tem que ser pensado rapidamente para que o desequilíbrio não te jogue num abismo.

Parte leste da ilha vista do Pico do Desejado
O pico de Desejado é o ponto mais alto da ilha, cortando o céu na altura de 620 m. O caminho até lá é difícil, inclinado e imprevisível. Em alguns momentos é preciso escalar as rochas com auxílio de cabos (cordas) para facilitar a subida. Todo o esforço é compensado quando aquele imenso azul contornado por um horizonte levemente curvado surge na sua frente. O vento que corre lá em cima canta toda a beleza daquela paisagem. Não existem palavras nem imagens que possam descrever esse cenário, só sabe quem respira aqueles ares.

Outra trilha interessante é a que nos leva à Crista do Galo, uma das pontas ao norte da ilha. No caminho se encontram grandes blocos de rochas que exigem passos estreitos e altos. A trilha passa pela praia dos Cabritos, umas das poucas faixas de areia que ocorre em Trindade e no final vários sargentinhos dividem conosco um refrescante banho numa charmosa piscina natural rodeada de corais.
Trilha de acesso à Crista do Galo (última pedra
no lado direito da foto)

Piscina natural na Crista do Galo

Na direção oposta à Crista do Galo existe um enorme paredão perfurado por um túnel natural por onde a água atravessa de um lado para outro. A trilha é relativamente tranquila, comparada com as demais, mas o visual é tão bonito quanto. O contraste de cores e a violência das ondas quebrando nas rochas fazem desse cenário um dos mais belos desse paraíso insular. Um lugar para ficar eternamente vagando pelas minhas boas lembranças.
Paredão do túnel

Túnel

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Desembarcando no paraíso

Vista aérea da Ilha da Trindade

Embarcamos no Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Almirante Sabóia, na Baía de Guanabara, e após 4 dias de viagem em um mar turbulento, desembarcamos de helicóptero na ilha da Trindade às 8hs do dia 18 de agosto. A visão aérea da ilha mistura cores e formas em combinações inimagináveis, numa harmonia perturbadora. Lindo!

Desembarque dos civis
No Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade (POIT) se encontravam cerca de 40 militares da marinha que executam as mais variadas funções, desde carpintaria até medicina. Além deles, seis pesquisadores ocupavam a Estação Científica da Ilha da Trindade (ECIT) e nos receberam com uma bela peixada!

Navio com aeronave pousada no convoo a ré
Durante 3 dias o navio ficou nos arredores da ilha, enquanto a aeronave desembarcou todas as 86 toneladas de material que abastecerá o POIT nos próximos 2 meses. Os pesquisadores e alguns militares regressaram com o Sabóia e a partir daí iniciou-se mais uma jornada de atividades militares e civis nesse lugar tão paradisíaco. Como dizem os militares, começou mais uma cabritada. 
Cabritada Mensalão


domingo, 12 de agosto de 2012

Próximo destino: Arquipélago de Trindade e Martin Vaz


Mais um capítulo da novela “Vida de Biólogo”. Dessa vez o destino é o arquipélago de Trindade e Martin Vaz, uma expedição científica destinada a pesquisa com os encantadores polvos. A viagem demora cerca de 4 dias e ocorrerá a bordo do NDCC Almirante Sabóia.
Trindade é uma ilha oceânica, distante 620 milhas de Vitória (ES) e 765 milhas do Rio de Janeiro (RJ), em direção à África. Já o Arquipélago de Martin Vaz, situado a 26 milhas a leste, seguindo na mesma direção. Trindade é uma ilha de origem vulcânica e eleva-se a 5.500 metros do fundo oceânico. É a única ilha oceânica que tem fonte natural de água doce.
Por mais de 30 dias iremos desfrutar da vivência insular e incorporar mais uma grande experiência ao meu repertório de expedições às ilhas oceânicas! 
Vamos pro mar e que Iemanjá nos abençoe.

Foto: Google Earth e arquivo pessoal