quinta-feira, 23 de julho de 2009

A nova rotina



E o primeiro dia na ilha nasce com todo esplendor. Um novo cotidiano agora se faz presente. Os afazeres do Laboratório de Biologia Pesqueira, no continente, agora dão lugar às tarefas "da pedra" como limpeza de placas solares (absurdamente cagadas), medição de lagostas (no barco), fabricação de água doce (dessalinizador) dentre outras...
A enseada já tem cara de convite, um convite para um fabuloso mergulho acompanhado por vários cangulos, ciliares, barracudas, tartarugas, donzelinhas e uma infinidade de simpáticas criaturas marinhas. As verdes caulerpas e seus movimentos impulsionados pelo rumo das águas refletem a sincronia dessa peculiar região.
A presença dos pescadores nas atividades da ilha é fundamental. Eles são os mecânicos, eletricistas, pedreiros, cozinheiros e além de tudo, uma diversão à parte. Todas as manhãs eles trazem a alegria do barco para a Pedra, sempre providos de lagostas, peixes e uma 51 para a "social matinal".
E o Baby? Nosso filhote de atobá adotivo, abandonado pela mãe depois de ser carregado pelas ondas. Sim, interferimos na lei natural da vida atobense em prol da tentativa de manter uma nova vida com um significado especial na ilha: superação, interação, companheirismo e auxílio, tudo o que é preciso para uma estadia saudável num lugar tão pequeno e inóspito.
A noite os ventos e o mar não calam, embalando nosso sono e nos dando energia para encarar um novo dia e novas experiências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário